Jung

Encontros

A Psicologia nos permite ir de encontro a alma... pois ela pode ser tão doce como uma poesia e tão profunda que nos promove a consciência.

A metáfora é uma de suas linguagens, assim como o sonho, os contos, os mitos, os desenhos...

A conversa, a troca, que acontece na terapia é inigualável a qualquer outro contexto de relação, por isso o papel do psicólogo deve ser tão valorizado, pois não há outro como esse.

E assim, aparece outro instrumento de se chegar a alma daquele que procura a psicologia para encontrar o seu caminho, a Astrologia.

Segundo Jung em O Segredo da Flor de Ouro ([1929] 1990):

"A Astrologia merece o reconhecimento da Psicologia, sem restrições, pois representa a soma de todo o conhecimento da Antiguidade".

E no livro Sincronicidade ([1972] 2002), Jung diz:

"Como psicólogo, interesso-me sobretudo pela luz que um mapa natal lança sobre certas complicações no caráter. Em casos de difícil diagnóstico psicológico, eu normalmente uso o mapa natal a fim de obter um outro ponto de vista de um ângulo completamente diferente. Devo dizer que muito frequentemente dados astrológicos elucidaram certos pontos que de outra forma teriam sido impossíveis de entender."


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Os Signos de Fogo

Áries é o primeiro signo do Zodíaco, de qualidade cardinal inicia projetos para afirmar a sua identidade, é regido pelo planeta Marte. As pessoas desse signo tem personalidade forte, de ação, iniciativa, coragem, força. Muitas vezes são tão honestas que magoam o outro por excesso de franqueza. Estão sempre a procura da sua expressão, da manifestação da vontade para sentirem-se vivos, podem procurar por isso através de esportes, atuações, alguma atividade dinâmica. Devem ter cuidado com a sua impetuosidade pois podem ser agressivos sem perceber. Os arianos devem aprender a enxergar a vida também pela visão das outras pessoas, a trabalhar em parceria, aprender a dividir, compartilhar.



Leão é de qualidade fixo, usa a criatividade para manter a identidade e é regido pelo Sol. As pessoas do signo de Leão tem um brilho natural em sua presença. Gostam da vida social e de serem reconhecidos pela sua beleza, ou por seu intelecto, ou talento, tanto faz, o que importa é ganharem a devida atenção para o que lhes importa. A criatividade é grande, podendo desenvolver talentos artísticos diversificados. Da mesma maneira que gostam de atenção, sabem também dar atenção quando querem. Devem tomar cuidado com sua tendência a soberania. Ao invés de ser o Leão (Rei) arrogante que acredita saber tudo, devem ser o Leão (Rei) generoso que distribui seu brilho e assim compartilha com o crescimento dos outros.


Sagitário é de qualidade mutável, altera seus ideais filosóficos, religiosos para se expressar melhor de acordo com o que acredita, é regido por Júpiter. As pessoas desse signo são movidas pela fé e pela busca. Tem necessidade de acreditar em algo para buscar, algo que esteja além, ao longe. Essa mira, está sempre apontada para algo que somente sua visão profética pode ver, e seu otimismo dá energia para ir em frente. Pode ser muito exagerado, franco em suas relações, tem amor pela liberdade, mas a paciência nem sempre é seu forte, e se o lado intelectual for muito desenvolvido, deve tomar cuidado para não ser arrogante. Os sagitarianos devem encontrar uma maneira de usar seus conhecimentos e sua visão de longo alcance para contribuir com a coletividade, e não reter tudo para si.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Os Signos

Existem doze signos na Astrologia, e correlacionando-os com a teoria junguiana cada um deles equivale a representações dos Arquétipos.

Os arquétipos compõem toda a história da humanidade, são tendências estruturais simbólicas, ¨imagens primordias¨ que servem de inspiração e guia para a humanidade, e cada um deles tem características determinadas, completos em si mesmos, vivos em energia. Portanto os signos nos mostram possibilidades de Ser, tendências a posturas e comportamentos, experiências e maneiras de pensar, características determinadas.

Para exemplificar, no livro Conhecimento da Astrologia [(1996) 2008] Anna Maria da Costa Ribeiro diz:
¨O arquétipo de mãe é uma potencialidade que toda menina tem; essa figura de mãe, entretanto, pode ser figurada como a igreja, a pátria, aquilo que nutre e protege, o sentimento de segurança, a terra, etc. Esse arquétipo é representado pelo signo de Câncer. Mas como um arquétipo engloba vários significados, assim também acontece com os signos. As pessoas de Câncer tem a potencialidade de expressar uma conduta maternal, protetora e nutritiva, mas isso não as obriga a se expressarem assim.¨

Os Signos podem ser relacionados com diversas experiências, podem ser vistos como um caminho de desenvolvimento, seguindo o desenho do Zodíaco. Podem ser complementações, de acordo com o signo oposto, podem ser vistos como ciclos, se levarmos em consideração as estações do ano. De qualquer maneira, os signos nos mostram como todos estamos interligados, pois em todo Mapa Natal o indivíduo tem os mesmos doze signos, que estão ativados com facilidades ou dificuldades pelos planetas e aspectos da ¨dança¨celeste. E são essas ativações diferentes tornam os mapa peculiares e únicos.

domingo, 8 de agosto de 2010

Sentido da Vida


Todos nós procuramos por algum sentido em nossa vida. Aqui refiro-me a buscas que nos levam a direções para atingirmos ou concluirmos algo, isso sem julgamento de ser algo profundo ou superficial, sem julgamento de valores, pois cada ser humano tem os seus próprios valores, sejam eles provenientes do meio em que se vive, sejam eles do seu interior, mas de qualquer maneira, interno ou externo, esses dois sentidos, polaridades, intercalam-se, interagem, dialeticamente se constroem, articulam-se.

Pois bem, a questão do sentido da vida é algo que para muitos é assim tão óbvio quanto o seu próprio talento que ressalta aos olhos do mesmo e de outros indivíduos. Para outros, o sentido da vida reside em satisfazer necessidades construídas pelo sujeito, identificadas internamente mas sem muita ressonância com o meio externo, sem muita aceitação. Já outras pessoas tem o seu sentido da vida voltado a satisfazer a necessidade dos outros, muitas vezes anulando seu próprio brilho e vontades pessoais.

Esse assunto é extremamente controverso, e abre espaço para centenas de milhares de considerações, como por exemplo, se o indivíduo que procura algo sabe ao menos pelo quê procura, se pelo menos ele se conhece, nem que seja um pouco, para saber de onde vem esse sentido que ele mesmo aceitou para sua vida, e mais outras tantas considerações que não me proponho ater no momento. Mas a questão principal de realização desse propósito de vida deve conter no mínimo a busca para a realização desse propósito dentro e fora do indivíduo.

Isso quer dizer que quando há um encontro e um entendimento de certas vocações, a necessidade da expressão dessas forças no mundo é tão importante quanto a própria vida do indivíduo. Não basta saber aquilo que se tem por “dentro”, o que rege sua busca, mas há de se encontrar um mecanismo de manifestação externo para a grandeza do interior.
As polaridades regem a vida, a existência, como Yin e Yang, Céu e Terra, masculino e feminino.

Essa polaridade também se refere ao dentro e fora, ao eu e ao outro e tem de ser percebida como a forma de equilibrar todas as coisas. A cada um cabe encontrar a sua maneira de equilibrar essas polaridades, mas é imprescindível, para a saúde integral do ser, ao menos a busca por esse equilíbrio.

Portanto, o que há dentro de tão importante, que tem o brilho especial ao ponto de entendermos como vocação, deve encontrar uma maneira para ser expresso aos outros, ao mundo, de alguma forma, e cabe ao próprio ser descobrir essa forma. A realização interna e externa dessa vocação devem ser buscadas, pois fazem parte de uma mesma coisa.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Signos do Elemento Água

As pessoas com predominância do elemento água estão em contato direto com seus sentimentos, com sensações e percepções que outras pessoas geralmente não se dão conta. Esses sentimentos e sensações vão desde o mais profundo sentimento de amor fraternal, incondicional, quanto a paixões compulsivas e medos irracionais. Quando conseguem se afinar internamente e atingem uma consciência mais clara de si mesmos, são os mais intuitivos do zodíaco, caso contrário, as intuições mescladas com suas impressões distorcidas do inconsciente podem levá-los a grandes confusões.

Segundo Stephen Arroyo:

“A sensibilidade dos signos de água é tão grande e a sua vulnerabilidade à mágoa é tão pronunciada que, se as reações emocionais não são controladas e adequadamente canalizadas, podem levá-los a um estado de instabilidade emocional e a uma predisposição para serem influenciados com demasiada facilidade pelo mais leve vento que sopre.” Arroyo, S., Astrologia, Psicologia e os Quatro Elementos, 1975, p.111)
Mas esse sobe e desce emocional tem suas vantagens. Essa experiência dá aos signos de água uma grande empatia pelos outros seres, pois eles conhecem os sentimentos e as “tempestades” e sabem o quão profundo pode ser o íntimo das pessoas. Elas podem desenvolver um ímpeto de se relacionar sempre em profundidade com os outros.

A missão desses signos é:

“Ganhar consciência através de uma lenta porém segura percepção dos anseios mais profundos da alma...devem-se proteger das influências exteriores a fim de garantir, para si mesmos, a paz interior necessária à reflexão profunda e a sutileza de percepção. A compreensão da verdadeira natureza das suas emoções e anseios é um processo lento e muitas vezes doloroso, mas assim que se dispõem a encarar seus verdadeiros motivos, eles podem ter certeza de que, com a passagem dos anos, terão um contentamento interior cada vez maior.” Arroyo, S., Astrologia, Psicologia e os Quatro Elementos, 1975, p.111)

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Signos do Elemento Ar

Os signos do elemento ar vivem no mundo das idéias e da comunicação, da troca de idéias. Mesmo que determinada idéia ainda não tenha se realizado no mundo, esses indivíduos a encaram com tamanha importância, e a força de suas idéias pode afetar o meio social e a vida de muitas pessoas.
Os signos desse elemento tem tendência a ficarem muito envolvidos com idéias e teorias abstratas, e se isso for exagerado podem até se tornarem excêntricos e fanáticos.

Segundo Stephen Arroyo as pessoas do elemento ar:

“...são capazes de ter um ponto de vista imparcial a respeito da experiência
imediata da vida cotidiana, o que lhes dá a possibilidade de ganhar objetividade
e perspectiva e de abordar racionalmente tudo o que fazem. Esse desapaixonamento
os habilita a trabalhar eficientemente com todos os tipos de pessoas, pois eles
não sentem a necessidade de se envolver intensamente com as preocupações ou com
as emoções dos outros.” (Arroyo, S., Astrologia, Psicologia e os Quatro
Elementos, 1975, p.109)

Por terem essa natureza são os mais sociáveis, pois conseguem apreciar objetivamente os pensamentos dos outros mesmo não concordando com eles.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Signos do Elemento Terra

Aqueles que tem o elemento Terra predominante no mapa, estão “assentados” no mundo material. As preocupações e atitudes voltadas para a sobrevivência e rotina diárias são fundamentais para esses signos, considerando esses aspectos a parte mais real da vida.

As pessoas desse elemento encaram a natureza como um campo para se manifestarem, são capazes de manter a vida utilizando e dominando os processos naturais guiados por seus instintos. É importante que esses indivíduos entrem em contato com a terra de vez em quando, com a natureza, para ativarem esse elemento internamente.


Segundo Stephen Arroyo:

“Os tipos de terra são motivados pelo desejo de resultados práticos, úteis. Eles
geralmente têm um sólido senso comum, quer o usem ou não.”

(Arroyo, S., Astrologia, Psicologia e os Quatro Elementos, 1975, p.118)

domingo, 23 de maio de 2010

Integração do Ser

O ser humano é complexo, dizem as pessoas. Realmente concordo, mas somos mais do que isso, somos um conjunto de complexos, conscientes e inconscientes.

Hoje em dia, temos a tendência de identificar-nos demais com nossa “mente”. Acreditando que somos ela, que a mente é o centro de nosso ser, pois nos identificamos tanto com nossos pensamentos “penso, logo existo” que nos agarramos a isso por necessidade de reconhecermos quem somos, porque o processo histórico da humanidade nos trouxe a isso.

A questão é que a mente realmente é reflexo do que somos, mas ela não está localizada precisamente em nosso cérebro, como tendemos a imaginar, mas sim em nosso ser inteiro.


Em um livro do Jung, há um trecho em que um índio pueblo diz:

“Como os brancos tem um ar cruel...Os olhos tem uma expressão fixa, estão sempre buscando algo. O que procuram? Os brancos sempre desejam alguma coisa, estão sempre inquietos, e não conhecem o repouso. Nós não sabemos o que eles querem. Não os compreendemos achamos que são loucos!”.
Jung então pergunta porque o índio pensava que todos os brancos eram loucos. Ele responde:

“Eles dizem que pensam com as suas cabeças”.
Jung pergunta:

“Mas naturalmente! Com o que pensa você?”
E o índio responde:

“Nós pensamos aqui” – disse ele indicando o coração.
(Jung, C.G., Memórias, Sonhos, Reflexões, 2006, p.285)


Pois bem, a dissociação que sofremos de tempos para cá, onde a razão é muito mais valorizada por nossa sociedade do que os sentimentos, nos fez muito mais “avançados” cientificamente, “evoluídos” nos estudos, na medicina, nas estruturas etc... mas nos deixaram extremamente doentes na alma. Por isso o aumento gradativo de doenças psíquicas, stress, síndromes, falta de ética, violência, injustiça etc..

Mas veja, essa constatação não quer dizer “largue seu trabalho”, “vá viver no meio do mato”, “mude de vida”, mas nos traz a seguinte reflexão: O quanto tenho vivido para minha mente? O quanto tenho vivido para o meu coração?

Essa reflexão nos pede a união dos “opostos” em nosso ser, a união, integração dos princípios femininos, masculinos, positivos, negativos, humanos, sagrados. E o viver pode ser mais pleno com a consciência desses aspectos que precisam ser integrados para que tenhamos uma vida repleta de sentido, de significado.

E aí, você talvez não precise “mudar” o que vem fazendo, mas sim “transformar” internamente o que este fazer significa e assim a consequência pode mesmo ser mudar o rumo, ou não, simplesmente fazer o que se faz, mas de maneira diferente, com sentido diferente.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Os 4 Elementos



Fogo


Os signos do elemento Fogo têm a chama da inspiração como norte na vida. Precisam de atividades que os excitem e motivem para se sentirem vivos e manter uma boa saúde em geral.

Quem tem esse elemento predominante no mapa sente necessidade de se envolver com outras pessoas desse elemento, que tenham metas e aspirações progressistas, inspiradas. Também precisam e gostam de mexer o corpo com atividades físicas, para assim ativarem essa energia ígnea constantemente. Gostam de atividades ao ar livre e em espaços amplos, onde possam se expressar livremente.

Segundo Christiany Catafay: 
“O símbolo do fogo é amplo, rico e ambíguo. O fogo pode criar, transformar ou destruir. Refere-se a uma energia universal irradiante, algo excitável e entusiasmante, que, através de sua luz, dá colorido ao mundo... Imitando o cosmos em expansão, os signos de fogo tendem ao exagero. Não existe um interesse pela visão pragmática da vida. Essa dificuldade em concentrar a visão globalizante do mundo sobre algo material ou corriqueiro gera insensibilidade.” Catafay, C., Simbolismo da Astrologia no Corpo: Um estudo sobre os signos de Fogo in: Jung & Corpo, Revista do Curso de Especialização em Psicologia Analítica e Abordagem Corporal, 2009, n 9, p.44)

sexta-feira, 14 de maio de 2010

A Psiquê Refletida nos Astros

É possível correlacionar os traços marcantes da personalidade do indivíduo com os elementos dos signos, sendo eles: fogo, terra, ar e água.

O signo ocupado pelo Sol é chamado de signo solar, e é um dos pontos mais fortes no mapa de uma pessoa, se não for o mais forte. O local e o signo onde está localizado é por onde entramos em contato com a energia vital. Portanto, se não “alimentarmos” essa área específica do mapa, ficaremos fracos, sem motivação, energia, vontade, vida.

Segundo Stephen Arroyo o elemento ocupado pelo Sol mostra:

“onde sua consciência está enraizada, com qual campo de atividade e existência você retira sua força. O elemento do signo ocupado pelo signo do Sol também mostra aquilo que é ‘real’ para o indivíduo...determina o modo como a pessoa focalizará a sua energia.” (Arroyo, S., Astrologia, Psicologia e os Quatro Elementos, 1975, p.113)


O ascendente ocupa lugar de destaque também, pois indica de que maneira o indivíduo caminhará no mundo. Portanto, para identificar qual elemento exerce mais influência, acredito que é necessário levar em consideração essas duas posições no mapa.
Ocorreu um erro neste gadget